DIA MUNDIAL SEM CARRO

São Paulo passa Dia Mundial Sem Carro com lentidão dentro da média

CET registrava, às 19h, 109 km de filas em toda a capital paulista.
Ativistas promoveram manifestações nesta terça-feira (22) na cidade.

A capital paulista passou a maior parte do Dia Mundial sem Carro, comemorado nesta terça-feira (22), com lentidão no trânsito considerada dentro da média. Apesar disso, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou congestionamentos maiores do que os habituais entre 13h e 15h30. As filas ficaram menores do que a média entre 9h e 9h30 desta terça-feira.

A CET registrava, às 19h, 109 km de lentidão nas vias da capital paulista, ou 13,1% dos 835 km de vias monitoradas. O índice era considerado dentro da média para o horário. O pior trecho de filas estava na Marginal Tietê, sentido Ayrton Senna, entre as pontes Atílio Fontana e Casa Verde (7,9 km). A Avenida dos Bandeirantes tinha lentidão no sentido Rodovia dos Imigrantes, entre a Rua Funchal e o Viaduto Aliomar Baleeiro (6,9 km).

O gráfico que mede a lentidão no trânsito de São Paulo ao longo do dia registrou, na maior parte do tempo, índices que ficaram dentro da média. Às 9h30, as filas somavam 7,4% das vias monitoradas, abaixo do índice médio mínimo registrado, de 8,4%. Às 13h30, 14h e 15h, no entanto, a lentidão ficou acima da média para os horários.

O Dia Mundial Sem Carro é um movimento internacional que começou na Europa em 1998. A ideia é que as pessoas deixem seus automóveis em casa por um dia no ano e utilizem o transporte coletivo ou meios alternativos, como bicicletas. 

Manifestações

Para marcar a data, um grupo realizou uma manifestação na Avenida Paulista, centro empresarial de São Paulo, para pedir um "trânsito melhor" e mais investimentos em transporte público. "São Paulo precisa e pode ter um trânsito melhor, um transporte público eficiente e de ótima qualidade, muito mais ciclovias e ciclofaixas, um ar mais limpo e respirável e melhor qualidade de vida para todos que aqui vivem e trabalham", diz folheto distribuído pelo grupo na avenida. Vagas de estacionamento foram ocupadas na região com tapetes de grama sintética, colchões e cadeiras de praia.

Táxis movidos a pedaladas chamaram a atenção de quem passava pela Avenida Paulista. O veículo é um triciclo de 21 marchas, com carroceria aberta e capacidade para dois adultos, uma criança e um ciclista. O “ecotáxi”, como é chamado, tem origem alemã, já é utilizado no Rio de Janeiro e está sendo exposto em feiras sobre meio ambiente em São Paulo. A ideia é que ele seja adotado na cidade como alternativa de transporte.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, usou o transporte público para ir da sua casa para a sede da Prefeitura, no Centro da capital paulista. Ele pegou um ônibus acompanhado por secretários.

No Dia Mundial Sem Carro, grupo protesta por ‘trânsito melhor’ em SP

Manifestantes distribuíram folheto que pede mais transporte público. Ato ocorreu na Avenida Paulista, centro empresarial de São Paulo.

No Dia Mundial Sem Carro, comemorado nesta terça-feira (22), um grupo realizou manifestação na Avenida Paulista, centro empresarial de São Paulo, para pedir um "trânsito melhor" e mais investimentos em transporte público.

Palhaço brinca com estrutura de madeira que simula um automóvel e atrapalha o trânsito no cruzamento da Avenida Paulista com a Rua Padre João Manuel

Vaga ocupada na rua Padre João Manuel, com tapetes de grama sintética, colchões e cadeiras de praia

Participante de manifestação, com máscara, entrega folhetos sobre o Dia Mundial Sem Carro em semáforo na Avenida Paulista

Veja fotos do Dia Mundial Sem Carro

TEMPO RUIM NÃO ATRAPALHA ‘PRAIA’ NO RIO TIETÊ

Ação é feita no Dia Mundial sem Carro e cobra despoluição do Tietê. Pessoas de biquíni e com pranchas estão nas margens do rio em SP.

Em outro ponto da cidade, guarda-sóis, pessoas de biquíni e prancha de surfe tomaram conta da margem do Rio Tietê na altura da Ponte das Bandeiras, sentido da Rodovia Castello Branco. O evento foi idealizado pela Fundação SOS Mata Atlântica e visou chamar a atenção para a necessidade de se despoluir o rio totalmente e integrá-lo mais no cotidiano da cidade.

Mesmo com o tempo nublado e a chuva leve que atinge a capital paulista nesta terça-feira (22), ativistas levaram guarda-sóis e prancha de surfe para a margem do Rio Tietê na altura da Ponte das Bandeiras, sentido da Rodovia Castello Branco, na data em que se celebra o Dia do Rio Tietê e o Dia Mundial sem Carro.

O evento foi idealizado pela Fundação SOS Mata Atlântica e visa chamar a atenção para a necessidade de se despoluir o rio totalmente e integrá-lo mais no cotidiano da cidade. “Nós queremos que as pessoas olhem para o rio como uma opção de transporte e lazer, como ocorre em outras cidades do mundo”, afirmou a coordenadora da fundação, Malu Ribeiro, segundo a qual o rio poderia ter transporte de barco.

Segundo ela, além dos voluntário ligados à fundação, outras pessoas chegaram ao local vestidas com roupas de praia e aderiram ao movimento. "Estamos aqui para mostrar que isso pode ser realidade um dia", afirma a analista financeira Luciana Mikami, que participa da ação no Rio Tietê.

 

http://video.globo.com/Portal/videos/cda/player/player.swf

Anúncios
Esse post foi publicado em Anote. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s