NOVAS ESPÉCIES I

 
Cientistas descobrem novas espécies na Amazônia
 
Uma expedição de cientistas revelou novas espécies de animais na região do interflúvio dos rios Purus e Madeira, na região amazônica do Brasil.
Segundo os especialistas, foram achados pelo menos quatro novas espécies de aves e uma nova de macaco.
Além disso, eles identificaram diversos tipos diferentes de insetos e plantas, que ainda estão sendo analisados para se descobrir se são espécies novas ou não.
"É muito cedo para saber quantas espécies novas nós encontramos", informou o biólogo Mario Cohn-Haft, do Instituto Nacional de Pesquisas Amazônicas (INPA), que liderou a expedição.
"O que nós sabemos de cara é que encontramos um macaco novo, que vai ser descrito como uma subespécie por uma tecnicalidade taxonômica, mas que pode também ser considerado uma espécie nova.
Ele foi avistado com outro macaco, quase certamente uma espécie nova, mas cujos dados não foram coletados."
"Além disso, foram encontradas na região pelo menos quatro espécies novas de aves."
Grande biodiversidade
Os cientistas divulgaram imagens feitas durante as duas expedições. As imagens da nova subespécie de macaco não foram reveladas, pois devem ser divulgadas apenas após a publicação de artigos científicos.
Segundo Cohn-Haft, a região do interflúvio Purus-Madeira é uma área de grande biodiversidade dentro da Amazônia, pois possui diversos tipos diferentes de ambientes – desde florestas, campos naturais não-florestais e regiões de bambus.
"Essa heterogeneidade (de ambientes) leva a uma biodiversidade muito grande, porque cada ambiente tem espécies novas. Além disso, há poucos estudos anteriores. É uma parte da Amazônia quase inexplorada."
O Projeto Geoma que promoveu as expedições é formado por entidades científicas de diversas áreas diferentes, entre elas o Inpa, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG).
Além do financiamento do ministério de Ciência e Tecnologia do governo brasileiro, através da rede Geoma, os cientistas também fizeram parceria com a Petrobras, que cedeu um helicóptero para uso do projeto.
Os cientistas planejam voltar para a região, mas ainda não organizaram uma nova expedição.
 
Foto 1: Cientistas acharam animais diferentes na Amazônia. Agora eles investigam quais espécies são novas.
Foto: Viviane Deslandes do Nascimento/Geoma/Divulgação
 

Samambaia atípica e ainda não-identificada do gênero Schizea.
Foto: Pedro Lage Viana/Geoma/Divulgação
Insetos em geral, como este homóptero, mostram uma grande diversidade, muitas vezes estranha e ainda pouco conhecida.
Foto: Pedro Lage Viana/Geoma/Divulgação
 
Tanto as borboletas como as plantas floridas oferecem beleza, mas também requerem estudos por especialistas para serem identificadas.
Foto: Pedro Lage Viana/Geoma/Divulgação
Essa é uma das espécies que os cientistas acreditam ser nova e que ainda será descrita: um urutau do genero Nyctibius.
Foto: Pedro Lage Viana/Geoma/Divulgação
 
Um urutau "mãe-da-lua", espécie noturna e exclusivamente neotropical (Nyctibius griseus).
Foto: Mario Cohn-Haft/Geoma/Divulgação
Um amblipigeo, bicho noturno, relativamente raro e de uma beleza estranha.
Foto: Pedro Lage Viana/Geoma/Divulgação
A região entre os rios Purus e Madeira é rica em ambientes diferentes, o que favorece a biodiversidade.
Foto: Mario Cohn-Haft/Geoma/Divulgação
Uma rã Edalorhina perezi, cuja aparência imita folhas secas. Essa espécie é típica tipica da Amazônia peruana e colombiana.
Foto: Mario Cohn-Haft/Geoma/Divulgação
Espera-se que a maioria dos opiliões e muitas das aranhas encontradas sejam espécies novas.
Foto: Eduardo Henrique Wienskoski Filho/Geoma/Divulgação
Cientistas ainda estão no processo de reconhecer as espécies.
Foto: Eduardo Henrique Wienskoski Filho/Geoma/Divulgação
A região da Amazônia é rica em ambientes e biodiversidade.
Foto: Mario Cohn-Haft/Geoma/Divulgação
Especialistas não tem certeza, mas acreditam que esta pode ser uma planária terrestre.
Foto: Eduardo Henrique Wienskoski Filho/Geoma/Divulgação
Foto mostra besouro Scarabidae enorme encontrado na região.
Foto: Eduardo Henrique Wienskoski Filho/Geoma/Divulgação
Anúncios
Esse post foi publicado em Saiba Que.... Bookmark o link permanente.

Uma resposta para NOVAS ESPÉCIES I

  1. Luiz Eduardo de Araújo disse:

    Muito interessante, cada espécie que, provavelmente são novas, exibem uma beleza única e difenciada de qualquer outra.
    Creio que ainda existam inumeras espécies de seres vivos que ainda não foram descobertas, sejam elas animais ou vegetais.
    É também muito provavél que existam minerais ainda não estudados e não identificados, mas esta é uma outra história.
    Resumindo isto, gostei das imagens e das espécies.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s